quinta-feira, 9 de junho de 2011

Como fazer sexo em público

Fazer sexo em lugares públicos não é atitude para qualquer um. Ficar quase pelado sem ser preso por atentado ao pudor é uma arte. Transar em recintos onde há trânsito de pessoas requer classe, pois não é elegante constranger o próximo. Claro que isto acaba acontecendo de vez em quando ou você nem percebe que viram (aprecio os discretos).

Por mais que eu e outros tantos seres vivos consideremos o ato normal e essencial a uma relação, o medo de ser pego pode causar sérios recalques em uma pessoa. Para que ninguém passe vontade, aqui vão algumas dicas para você se dar bem e ter pequenos momentos de prazer ao longo do seu dia, noite, horário de almoço, intervalo na academia…

Passo 1 – (e mais importante) Parceiro(a)

- Ele tem de ser safado, bem safado. Do tipo que diz pornografias no seu ouvido enquanto vocês esperam os amigos pagarem a conta.
- Ele deve ser aquele que te dá discretos apertões na bunda ou te pega pela cintura daquele jeito em qualquer lugar.
- Ele te encoxa quando você está de costas e/ou fica respirando quente e ofegante na sua nuca.
- Se além de todos os itens citados, ele fica excitado facilmente: escolhido! Ps. Nunca desperdice uma ereção. No caso de alguns, não temos como saber quando irá acontecer de novo.

Passo 2 – Lugar

- Qualquer hora é hora e qualquer lugar é o lugar.

Passo 3 – Ação!

- Se as chances de vocês ficarem solitos, ou se esconderem em qualquer canto são grandes, comece a excitá-lo o quanto antes.
- Vá até o banheiro, ou se estiverem sozinhos, tire sua calcinha ali mesmo e deixe o gato morrendo de tesão. Ficar com ela também é válido. Adoro quando ele me prende forte na parede e a tira para o lado.
- Assim que ficarem sozinhos, é bom você ter prática em colocar a camisinha rápido, senão, deixe a tarefa para ele.
- Arrume o lugar: afaste as coisas em que você ou o gostoso podem esbarrar.
- Verifique o território: lugares para colocar os pés, apoiar as costas, a barriga, as mãos. Não é só porque o sexo é rápido que precisa ser papai e mamãe, né? (sem tirar o mérito da posição).
- Nada de ruídos altos. Respiradas ofegantes e sacanagem ao pé do ouvido valem, mas deixe o escândalo para quando estiver entre quatro paredes, ou para lugares inóspitos sem ‘vizinhos’ próximos.
- Se forem pegos, chegou o momento de testar seus dotes artísticos: improvise. Uma vez eu estava no sofá da casa do gato, sentada em cima dele, rebolando gostoso, quando o irmão do cara entra na sala. O lance foi abraçá-lo e disfarçar (esta não foi uma das minhas melhores atuações). A sorte é que eu estava de vestido e ele cobria a ‘situação’.

Dica superimportante:

Se estiver bêbada é possível que lembre destas dicas, mas as chances de você ser pega sobem em progressão geométrica. Ainda mais se você estiver mandando ver dentro do carro, às 9h30 de um sábado no centro da cidade. Mas esta história fica para outro dia.

Fonte:http://www.negodito.com/maria-orgasmos-como-fazer-sexo-em-publico/
Contribuição: Carol Aquila

domingo, 5 de junho de 2011

Como prever fim do namoro


Hoje em dia todos nós gostamos de prever as coisas, e saber quando vai chegar ao fim e quando vai terminar uma relação seja ela um casamento ou namoro é importante para tentar dar um novo fogo na relação para as coisas continuarem a correr bem. Existem algumas dicas e maneiras de prever o fim de uma relação, basta estar atento e reparar em fatos importantes.
Alguns sinais que o relacionamento vai terminar:

- Evitar colocar-se no lugar do outro e dificultar negociações

- Sempre incluir alguém na relação para evitar intimidade

- Ser intolerante, impedindo o parceiro de se retratar durante discussões

- Preencher excessivamente o cotidiano com parentes e amigos

- Insistir em tentar mudar o outro

- Comparar e criticar publicamente o outro, mesmo que no círculo mais íntimo

- Sonegar a chance de o outro perceber seus erros

- Rejeitar sempre a comunidade de amigos do parceiro

- Relevar características criticáveis, acumulando desprezo intimamente

- Evitar a saída com amigos em comum

- Não ter saudade e sentir alívio quando está sozinho

- Ficar constrangido ao apresentar-se socialmente com o cônjuge

- Optar por relacionamentos extraconjugais por não acreditar mais na relação

- Evitar discutir ou realizar projetos presentes e futuros

- Pensar frequentemente em dar um tempo na relação

- Não se enxergar nos projetos do outro ou não incluir o outro nos projetos individuais

- Restringir sistematicamente a atenção e o cuidado dedicado ao cônjuge

- Ao olhar para trás, não sentir orgulho do que viveram juntos
Uso constante de GPS pode prejudicar memória, diz pesquisa

Apesar de ter facilitado a vida de motoristas nas grandes cidades, o uso contínuo de GPS pode prejudicar uma área do cérebro responsável pela localização. Um estudo da Universidade de McGill, no Canadá, sugere que o uso frequente do sistema de localização via satélite pode causar problemas de memória e orientação espacial.

O estudo, publicado no PhysOrg.com, considerou duas das maneiras mais comuns das pessoas se localizarem. A primeira delas é quando a pessoa busca pontos de referência para a construção de mapas mentais. A outra, chamada de estímulo-resposta, é uma espécie de piloto automático, quando uma pessoa usa repetidamente o mesmo caminho ou opta por rotas conhecidas e acaba fazendo quase sem pensar – esta forma é semelhante ao uso do GPS.

Os participantes da pesquisa – adultos mais velhos que usavam GPS e que não faziam uso do aparelho - navegaram por labirintos virtuais enquanto o cérebro passava por uma ressonância magnética. Os mais jovens preferiram método de navegação espacial, já os mais velhos preferiram o processo de estímulo resposta, semelhante ao que acontece com o GPS.

Outra descoberta foi que, quem usa o sistema de navegação espacial – sem GPS – teve aumento de atividade na região do hipocampo e tinha mais massa cinzenta nesta área. Esta região do cérebro está relacionada com a memória e localização. Por isso, os cientistas suspeitam que a navegação automática, no estilo GPS, poderia atrofiar o hipocampo e afetar a memória com o tempo.

Os participantes que usaram o sistema espacial (diferente daquele com o GPS) ainda se saíram melhor que os outros em um teste cognitivo geralmente usado para diagnosticar o Mal de Alzheimer. Mas os pesquisadores ainda não sabem se usar o sistema de navegação especial ajuda a desenvolver o hipocampo – e por consequência, a memória – ou se que opta por usar este sistema de localização já tem o hipocampo mais desenvolvido.

Os cientistas, no então, não estão dizendo para banirmos o GPS de nossas vidas, mas para que não usemos o aparelho com tanta frequência, para ir a lugares que já conhecemos ou para retornar de percursos em que usamos o parelho durante a ida.

Fonte: Revista Galileu

"Marcha das Vagabundas" aconteceu sábado


Mulheres com saias curtas, de salto alto e até só de calcinha e sutiã se reuniram na tarde deste sábado (4) na Praça dos Ciclistas, na Avenida Paulista, em São Paulo, para uma manifestação inusitada: a Marcha das Vadias. A ideia da brincadeira surgiu após um policial afirmar, durante uma palestra em uma universidade em Toronto, no Canadá, que as mulheres deveriam parar de usar roupas de vadias (ou slut, em inglês) para evitar estupros.

A opinião do policial teve grande repercussão e marchas semelhantes ocorreram em todo o mundo. Uma das idealizadoras da manifestação paulistana, a escritora Solange De-Ré, de 30 anos, afirma que o objetivo é fazer com que a sociedade reflita sobre o machismo. “Em uma mesma família, o menino tem toda a liberdade para se mostrar. A mulher, não. O machismo não vem só dos homens, mas das mulheres também, que julgam as outras mulheres.”

versão paulistana da marcha foi mais recatada do que as equivalentes estrangeiras. “A gente não quer carnaval. A gente quer que as pessoas se vistam normalmente, como elas gostam de se vestir”, disse a publicitária Madô Lopez, de 28 anos, co-responsável pela marcha. O que mais chamou a atenção entre os cerca de 300 participantes foi a grande quantidade de cartazes contra o machismo e a favor do respeito entre os gêneros. Além disso, um grupo de mulheres animava o público usando tambores improvisados em baldes para produzir música.

Apenas uma jovem foi mais ousada e encarou a fria tarde de sábado vestindo apenas calcinha e sutiã. A estudante Emilia Aratanha, de 23 anos, justifica a vestimenta: “Independentemente do que você usa, em primeiro lugar vem o respeito.”

Ela lamenta a violência contra as mulheres –fato que em sua opinião é uma realidade mundial. “Tem mulheres com burca que acabam sendo estupradas. Isso tem que acabar


Fonte: globo.com
Como lidar com rompimentos na era digital


Terminar um namoro nunca é fácil. E o mundo cada vez mais conectado não torna as coisas melhores. Ao mesmo tempo que o Facebook pode te ajudar a fazer a fila andar mais rápido com novas paqueras, a rede de relacionamentos pode tornar bem mais difícil esquecer antigos amores.

Para te ajudar na árdua tarefa de lidar com relacionamentos na era digital e recomeçar a vida, aqui vai um guia de etiqueta online para o fim de namoros. Aprenda a se livrar da ex-namorada exibicionista no Facebook ou do ex onipresente no Twitter e o que fazer com mensagens de texto enviadas na madrugada.

1. Terminar por SMS, pode?
Não, não e não. Por pior que pareça, ter uma conversa franca cara a cara é o único jeito aceitável de se terminar um relacionamento – mesmo que ele tenha durado 3 semanas. É sinal de respeito. Por pior que as coisas estejam, nunca envie uma mensagem de texto no celular do outro escrito: “Precisamos conversar”. Isso só vai deixar seu parceiro angustiado, encontre, converse e resolva. Se você for a pessoa que recebeu essa terrível mensagem pelo celular, a única coisa madura a se fazer é levar a conversa para fora do mundo digital e se encontrar para conversar pessoalmente. Vai doer, mas é necessário.

2. Quando mudar seu status de relacionamento no Facebook?
A primeira dica é ser discreto. Não precisa esfregar na cara de todos os seus amigos que agora você está solteiro. Até porque, se o rompimento durar apenas alguns dias, você não vai passar pela situação ridícula de ter que voltar a colocar “em um relacionamento sério”. Para fazer as coisas de maneira reservada, antes de trocar seu status para solteiro, vá em suas configurações de privacidade e selecione a opção para seu status de relacionamento aparecer para “somente eu”. Só depois mude para “solteiro”, ninguém vai perceber a alteração. Quando você estiver pronto para assumir para o mundo sua solteirice, vá em suas configurações de privacidade e coloque aparecer “para os amigos”, assim, aparece no feed deles. Mas se sua intenção é evitar que as pessoas, desavisadas do término, te perguntem “como vai o fulano”, mudar o status publicamente pode resolver.

3. O que fazer com as lembranças digitais do casal que acabou?
Na época dos seus avós, bastaria colocar as cartas e fotografias numa caixa e guardar no fundo do armário. Na era dos computadores e smartphones, colocar os emails e JPEGs numa pasta do computador não garante que você não vá dar uma olhadinha de vez em quando. Calma, não precisa deletar todos os vestígios do ex-casal. O que dói agora, pode ser uma boa lembrança no futuro. O melhor é salvar tudo num pen drive ou HD externo.

4. E as fotos online?
Se elas estiverem no seu álbum, é mais fácil. Quando forem fotos só com o casal, você pode apagar sem culpa – seu ex fará o mesmo. Quando forem fotos entre amigos ou família, vai depender de seu grau de sofrimento ao olhar para elas. Na dúvida, apague e coloque outras no lugar. Se você e o ex estiverem marcados nas fotos de amigos, pode excluir sua marcação sem culpa também. Ou, nas configurações de privacidade, escolha para que as imagens marcadas apareçam só para você. Se você não liga e é moderninho, pode deixar a marcação nos álbuns de outras pessoas. Mas sempre corre o risco de alguma nova paquera desistir ao te ver tão feliz – que é como todos aaparecem nas fotos de redes sociais – com outra pessoa.

5. Devo deletar o ex das redes sociais?
Nenhum término é bom, então é bem provável que você fique mexido ao ver o nome da pessoa piscando do MSN e Gtalk. Deletar de vez é drástico e mostra que você está sentido demais. O melhor é encontrar alternativas. No Facebook, há uma opção para esconder as atualizações de alguém em seu feed (basta clicar no “X” que fica ao lado direito de um post da pessoa e clicar na opção “ocultar todos por ”). Lembre-se: o que os olhos não veem, o coração não sente. Mas Rosana Hermann, jornalista e twitteira de carteirinha, diz o contrário sobre deletar o ex. “Jamais! Sabe aquela coisa de manter os amigos próximos e os inimigos mais próximos ainda? Então. Controle é fundamental para alimentar a paranoia.”

6. E “curtir”, pode?
Nada de “curtir” atualizações ou links engraçados que o ex coloca no Facebook, ao menos, não por enquanto. O mesmo vale para o “RT” no Twitter. A hora certa de voltar a interagir online? É a mesma hora que você acha que está tranquilo para encontrar a pessoa de verdade por aí. Dessa vez, Rosana concorda. “Aí, não. Tem que ser só na sombra, na silhueta.”

7. Evite ligações ou SMS na madrugada
Quem nunca fez ou recebeu que atire o primeiro celular. Se você é o alvo, desligue o aparelho ou tire o som quando for dormir. Uma hora a coisa para. Se você é a pessoa que bebe um pouco mais e faz do celular uma arma, pode existem alguns truques para evitar passar por uma situação ridícula. O primeiro é apagar o telefone do ex. Se você sabe o número de cor ou não quer apagar, pode trocar o nome do contato para o de alguém que você nunca ligaria, escrever “não faça isso” no lugar do nome... O principal é não se iludir achando que vai reatar o relacionamento enquanto estiver bêbado na madrugada.

8. Devo manter amigos de ex no Facebook?
Depende. Se eles são seus amigos também não tem nem o que questionar. Mas saiba que eles podem fazer com que você se lembre do ex com mais frequência. Em todo caso, é melhor usar a técnica de ocultar atualizações.

9. Quando voltar a interagir online com o ex?
Para evitar recaídas – a menos que seja essa sua intenção – tenha paciência. Vale a dica de imaginar a pessoa namorando outro. Se não dói mais, já hora de levantar a bandeira branca e dizer um “oi” despretencioso.

10. E agora?
Eliminar o ex de sua vida virtual é trabalhoso, mas não é impossível (demos uma mãozinha nos itens anteriores). Agora é a hora de usar a internet para o que ela tem de melhor: conhecer gente nova ou reatar velhos laços! Não é novidade que as redes sociais são muito úteis na hora da paquera. Mas seja discreto, não pareça desesperado demais.

O que nunca fazer:
Esbanjar uma felicidade falsa mostrando fotos de festas logo depois do término, não cola.
Ficar fazendo lamentações online sem direcionar a ninguém – só você acha que ninguém sabe de quem está falando.
Mudar seu status para “solteiro” e sair paquerando todas as amigas da rede no mesmo dia. Desespero não é afrodisíaco.


Fonte: Revista Galileu

quarta-feira, 1 de junho de 2011

As 10 maiores duvidas sobre a cerveja


1. A CERVEJA MATA?

Sim. Sobretudo se a pessoa for atingida por uma caixa de cerveja com garrafas cheias. Anos atrás, um rapaz, ao passar pela rua, foi atingido por uma caixa de cerveja que caiu de um caminhão levando-o a morte instantânea. Além disso, casos de infarto do miocárdio em idosos teriam sido associados as propagandas de cervejas com modelos boazudas.

2. O USO CONTINUO DO ALCOOL PODE LEVAR AO USO DE DROGAS MAIS PESADAS?


Não. O álcool é a mais pesada das drogas: uma garrafa de cerveja pesa cerca de 900 gramas .

3. CERVEJA CAUSA DEPENDÊNCIA PSICOLÓGICA?


Não. 89,7% dos psicólogos e psicanalistas entrevistados preferem uísque.

4. MULHERES GRÁVIDAS PODEM BEBER SEM RISCO?


Sim. Está provado que nas blitz a polícia nunca pede o teste do bafômetro para as gestantes. E se elas tiverem que fazer o teste de andar em linha reta, sempre podem atribuir o desequilíbrio ao peso da barriga.

5. CERVEJA PODE DIMINUIR OS REFLEXOS DOS MOTORISTAS?

Não. Uma experiência foi feita com mais de 500 motoristas: foi dada uma caixa de cerveja para cada um beber e, em seguida, foram colocados um por um diante do espelho. Em nenhum dos casos, os reflexos foram alterados.

6. A BEBIDA ENVELHECE?


Sim. A bebida envelhece muito rápido. Para se ter uma idéia, se você deixar uma garrafa ou lata de cerveja aberta ela perderá o seu sabor em aproximadamente 1 hora.

7. A CERVEJA ATRAPALHA NO RENDIMENTO ESCOLAR?


Não, pelo contrário. Alguns donos de faculdade estão aumentando suas rendas com a venda de cerveja nas cantinas e bares na esquina.

8. O QUE FAZ COM QUE A BEBIDA CHEGUE AOS ADOLESCENTES?


Inúmeras pesquisas vinham sendo feitas por laboratórios de renome e todas indicam, em primeiríssimo lugar, o garçom.

9. CERVEJA ENGORDA?


Não. Quem engorda é você.

10. A CERVEJA CAUSA DIMINUIÇÃO DA MEMÓRIA?


Que eu me lembre, não.
Cantadas infalíveis!!!






Porque os homens preferem as mulheres virgens???




1) Mais apertadinha.
2) A inocência dá um gosto especial.
3) Romper o hímen é demais!
4) Você faz o que quiser.
5) Ela não manda em você.

Entre outras coisas…




Bom, tudo isso é MENTIRA!

* ão! A vagina só ficará flácida depois de partos naturais.

* Esse tipo de inocência pode até ser legal, para pedófilos.

* Eu não sei quanto aos outros homens, mas misturar sexo com sangue não é legal.

* Não! Justamente o contrário, tudo dói, é nojento, ou algo do tipo.

* Não exigir o que quer, é legal?! (Ok, eu sou fascinado por mulheres dominadoras.)

Agora a VERDADE!

Homens preferem as virgens pela falta de experiência. Uma menina virgem, não critica. Sim, a maioria dos homens tem um ego frágil. Quer um exemplo? Experimente rir do tamanho do pênis dele na hora H. Isso é uma das coisas que pode deixa-lo frustrado! (Nâo repita isso em casa, se gostar dele.)

Quando uma “menina” perde a virgindade, é totalmente diferente do homem. A menina virgem tem muito menos conhecimento do que o menino virgem. O menino se masturba, lê sobre, vê vídeos, molesta a filha da empregada. A menina não, pois é colocado na cabeça dela, que sexo é somente depois do casamento, sexo é proibido, “menina de família” não conversa sobre isso! A nossa sociedade é machista, e isso é ruim para os dois lados.

Mas não desviando do tema, quando uma menina transa pela primeira vez, ela não sabe ao certo o que está fazendo. (Há exceções, claro). E consequentemente não tem senso crítico sobre isso, não sabe se é bom, se é ruim, se atingiu ou não o orgasmo, ou seja ela não falará que o parceiro foi “ruim de cama”, porque não sabe o que é “bom de cama”! Ela não irá comentar sobre o tamanho, forma, espessura, porque não viu muitos pênis na vida.

Entendeu o porque de homens gostarem de virgens?

Conclusão: Mulheres virgens não têm como afetar o “ego” masculino.

Atenção!!!
Homens que lavam a louça têm melhor vida sexual



Agora é científico: os homens que dividem as tarefas domésticas com a companheira contribuem para a harmonia entre o casal e podem ter uma vida sexual mais satisfatória, revela um estudo americano.

“Em geral, quanto mais tarefas domésticas os homens fizerem, mais felizes estarão as mulheres”, explicou à AFP Scott Coltrane, sociólogo da Universidade de Riverside, na California (EUA). Citado pelo espanhol El Periodista Digital, Coltrane acrescentou que os terapeutas já reconhecem uma correlação directa entre o trabalho que os homens fazem em casa e a frequência das relações sexuais, apesar de os sociólogos, por norma, ainda não levarem em conta este dado.

Joshua Coleman, psicólogo do Council of Contemporary Families (Conselho das Famílas Contemporâneas), comentou o estudo no site da organização americana e sublinhou que ?as mulheres dizem sentir mais atracção sexual e afecto pelos maridos se estes participarem nas tarefas do lar?. No sentido oposto, advertiu que passar demasiado tempo com os filhos pode prejudicar a intimidade do casal e diminuir consideravelmente o número dos momentos românticos






Contribuição: Carolina Nachi