domingo, 25 de abril de 2010

Maria Amélia acorda durante a noite e percebe que seu marido não está na cama. Veste um manto e desce as escadas de sua casa para ver onde ele está.
Encontra-o na cozinha, sentado, pensativo, diante de uma xícara de chá. Ele parecia muito consternado com um olhar fixo no vazio. E ainda percebe que ele limpou uma lágrima. Só poderia ser algo muito sério.
- O que passa, querido?
O marido levanta os olhos e pergunta docemente:
- Você se lembra, há 20 anos, quando saímos pela primeira vez? Você tinha apenas 16 anos…
- Sim, claro! Lembro-me como se fosse hoje! responde ela.
O marido fez uma pausa, as palavras custavam a sair, prosseguiu:
- Você se lembra quando o seu pai nos surpreendeu enquanto fazíamos amor no banco detrás do meu fusca?!
- Sim, perfeitamente.
Ela sentou-se ao lado dele e completou:
- Foi um susto e tanto!
- Lembra, ainda, quando ele apontou uma arma na minha cabeça dizendo “ou se casa com a minha filha ou te mando para cadeia por uns 20 anos, seu moleque” ?
- Lembro, lembro sim respondeu ela delicadamente.
Ele limpa mais uma lágrima e completa:
- Pois é. Hoje eu estaria em liberdade!

Nenhum comentário:

Postar um comentário